ALI COMO QUEM VEM DO JUKEBOX

WILD NOTHING | LETTING GO (LIVE FROM BROOKLYN STEEL)

Eram catorze, quinze, talvez dezasseis anos, quem sabe a esta distância. Perdoa-me, não me recordo do teu nome, penso que te chamavas Renata, espero que estejas bem, por aqui tudo bem, continuo a ouvir e a tirar prazer de sonoridades que parecem sair de garagens dos arredores de Lisboa, onde nasceu uma new-nave só nossa.

Isto enquanto nascia também uma new-wave londrina que acompanhávamos à distância no programa de rádio do António Sérgio que gravávamos em cassetes, cortando as vozes do António só para que o resultado se parecesse o mais possível com uma colectânea de hits da actualidade.

Era no Jukebox, ali ao Bairro Alto que rodavam os vinis de todos esses temas, importados em grande parte na discoteca do centro comercial Arco-Iris, dos poucos pontos onde podíamos de facto importar música.

Isto tudo nos tempos em que as lojas não eram todas as mesmas em todas as cidades europeias