CARTA AO OUTONO

PRIMROSE FOREVER SANCTUARY, KOREY DANE, ALYSSA MILLER | ALL IN MY HEAD

Noite obscura e nebulosa, não roubes mais aos dias.
Não que se prevejam solarengos ou mais habitados,
Mas também há beleza nos mantos de folhas douradas caídas,
No chão das manhãs que se me espraiam à porta,
São folhas de ouro de várias paragens, que trazem mensagens com elas, Escritas nos vários tons que por si só reluzem sobre os dias cinzentos.
E me contam historias de bairros vizinhos que leio do chão.


Também é belo o Outono e não há lobos nas noites de névoa,
Nem eu quero ferir alguém que nem garras trago no fim das mãos.
Sabes que não me entrego à noite eterna para magoar quem seja,
Apenas luto com os meus fantasmas sem nomes, sem caras…
E eu…. eu não luto por coisas feitas de lágrimas e suores frios.
Não me roubes os dias, não me troque toda a luz por noite,
Ou apago-te as luzes que te pintam o rosto de beleza.