UNCENSORED, I CAN TELL YOU

IAMX | STARDUST (UNCENSORED)

Chris Corner nunca brincou com a sua música como sempre levou muito a sério o seu lado performático, aliás, tão cru e underground como a sua música. Com o que brinca é com bonecas e bonecos, mas isso é completamente irrelevante quando ultrapassa a performance e a estética glam que nos remete para uns Roxy Music com Bryan Eno e até para um Bowie.
Conhecido por poucos em Portugal, se não mesmo no mundo inteiro, tem um público muito fiel porque tem já uma longa carreira em que quase tudo é bom. Há um enorme denominador comum em toda sua discografia e das poucas vezes que se desviou desse caminho, não soube “agarrar” o seu público pelo ouvido.

Veio (que eu saiba) duas vezes a Portugal. A primeira no ano de 2007, em digressão com o seu segundo álbum de originais “The Alternative”, que considero dos melhores álbuns dessa década, onde encheu o Lux para logo o incendiar numa performance que nos deixou todos de boca aberta, uma música e energia poderosíssimas que juntando ao espaço intimista e acústica do Lux me fez pensar que talvez estivesse a assistir ao melhor concerto da minha vida.
Se já ouvia “The Alternative” e “Kiss + Swallow” (1º álbum de IAMX) exaustivamente, mais admirador da figura de IAMX, que se assume como um alter ego de Chris Corner, que soube criar uma marca assente nos pilares do “glam rock” com influências da música electrónica “clubbing” dos mais emblemáticos clubes nocturnos de Berlim desses anos.

A segunda vez que veio a Portugal foi tocar ao Hard Club no Porto, apenas tive conhecimento do concerto uma semana antes e comprei logo bilhete. Fiz-me ao caminho com a minha filha, que ficou em casa de uma amiga nossa e fui direito para o Hard Club. Foi no dia 13 de Novembro de 2015, na mesma noite dos ataques terroristas no teatro Bataclan. Enquanto eu estava a ver o concerto de IAMX morriam mais de 130 pessoas em Paris, num concerto dos Eagles of Death Metal.

Não achei este concerto tão bom como o do Lux em 2007, mas não desiludiu e não fez nada mal feito. Até hoje sou um seguidor muito atento do trabalho de Chris Corner e o seu IAMX e cheguei a contribuir num crowdfunding que fez para poder contratar o ºrpdutor que queria para fazer um disco. No fundo comprei o disco antes de ele ser feito e quase um ano depois recebi-o no correio com uma carta de agradecimentos.

Pois nada que agradecer caro Chris Corner, sempre a considerar-te, como podes ver…
Desta fico-me com o teu “Stardust” que, pude perceber, tem um vídeoclip censurado e um não censurado. Bem.. se há uma coisa que temos em comum é que somos ambos fiéis aos nossos princípios, e eu tenho por princípio não fazer juízos e tendo a reagir mal a versões censuradas da expressão artística, mais ainda num mundo em que vemos guerras em directo na televisão à hora do jantar (não eu, mas isso é agora é irrelevante).
Por isso, aqui deixo a tua versão não censurada. Metam as crianças na cama e se se deixam impressionar facilmente aproveitem e vão contar uma história às crianças. Não tem crianças? Ler um livro é uma excelente opção e uma forma de ganhar muito mundo sem sair do sofá.
Não veja isto, mas desligue a televisão, largue o tik tok e leia um livro.